domingo, 7 de junho de 2009

Quinquilharias




Em toda parte do mundo há estas lojas entupidas de quinquilharias, bugigangas, tralhas, pequenos e variados objetos de pouco valor... adoro!
Na minha ignorância, pensei que a palavra "quinquilharia" — acho-a engraçada, me lembra sons de guizos, de pulseiras de metal batendo umas nas outras — fosse nossa, mas vejo que veio do francês. E "bugiganga"... do espanhol. No mundo inteiro juntamos (e vendemos) quinquilharias, ainda bem...

* Foto que tirei na pequenina cidade de Uzès, Provence, França. Aos sábados, durante a feira que ocupa as suas ruas, Uzès inteira recende a alfazema, a ervas, a pão quente, a queijos de cabra e aos pequenos mistérios do cotidiano, garimpados nas conversas dos compadres.

14 comentários:

maria guimarães sampaio disse...

vontade de estar lá

aeronauta disse...

"Entre aqui e compre 'alguma coisa'". Imagine uma lojinha com esse nome! Existe!

aeronauta disse...

Antes, essa lojinha se chamava: "Vende-se alguma coisa". Interior da Bahia.

Marcus Gusmão disse...

Gosto muito das palavras quinquilharia e bugiganga. Elas se parecem muito com as coisas que são. E também das suas primas parafernália e algaravia. Gosto também deste tipo de loja. Enquanto fico também na vontade de estar lá, me divirto nas lojas de 1,99, em Feira de Santana.

Elenilson Nascimento disse...

SELEÇÃO DE POETAS PARA A COLEÇÃO LITERATURA CLANDESTINA – 2009
Estamos selecionado um novo grupo de autores para o lançamento de uma trilogia com poemas, contos e crônicas. E o primeiro volume – com poemas – já está sendo organizado. Vamos unir forças e através da ARTE mostrar que o nosso país ainda tem solução (*tem alguém aí que ainda acredita?), pois nós não fazemos ARTE para adestrar macacos! A LITERATURA precisa de um sistema mais organizado, precisamos de Políticas Públicas que prezem pela formação de leitores e ter uma visão mais profissional, porque fazer um livro não é um processo banal. Então, erguei-vos, caros poetas!

Para mais informações CLIQUE AQUI:
http://literaturaclandestina.blogspot.com/2009/06/colecao-literatura-clandestina-2009.html

Bernardo Guimarães disse...

me amarro em bugigangas,quinquilharias,mucufaiase traquitanas.Entrei numas lojas assim em Buenos Aires ( San Telmo), o máximo!

Bipede Implume disse...

Houve uma época que me perdia nessas lojas. Mas me refreei, se não a casa se tornava uma loja igual.
Mas são fascinantes tal como a palavra.
Beijinhos e boa semana.
Isabel

Dalva M. Ferreira disse...

Adoro!!!

Anônimo disse...

Janaina,

há quanto tempo!
Te leio sempre, mas, confesso, sou meio prequiçosa...
Além de quinquilharia, bugiganga, parafernália, algaravia e traquitana, badulaque também é adorável, não?

Beijos

Vivina.

Márcia(clarinha) disse...

feiras de todos os tipos de todos os sabores de todos os cheiros, quero.
sou quinquilhareira assumida, gosto.

lindo dia
beijos

Janaina Amado disse...

Gente, adorei saber que há tantos quinquilheiros, bugigangueiros, traquitanas, badulaqueiros e que tais entre voces! Vivina, você aqui é sempre especial. Bom partilhar minhas preferências com vocês!

Chorik disse...

Na loja é uma beleza. Em casa, num sei não!

nina rizzi disse...

queria ter estado aí. quem sabe um dia, quem sabe.

a postagem me lembrou o trava-línguas:

as bruzundangas
do brique a braque
do brandão
abrangem:
broquéis
brunidos
broxados
bruxuleantes
(algo mais? rsrsrs)

beijinhos :)

Apelido disponível: Sala Fério disse...

As bruzundangas do briquebraque do Brandão abrangem broquéis de bronze brunido, brocados bruxoleantes, brochuras, abraxas, brazonadas e brinquedos.