domingo, 8 de março de 2009

Mulher


Mulher é arrepio, solidão. Mulher, peito cheio de leite e incertezas. Mulher intuição, mulher sabe antever. Cheira silêncios, tateia guerras, divisa perdas, vislumbra amores e muros muito antes de nascerem: pois mulher sabe de fetos.
PS - Tem poema sobre mulher lá no enredosetramas
(Imagem daqui. Texto de minha autoria, sob licença Creative Commons)

7 comentários:

adelaide amorim disse...

Quanto ao comentário lá no Enredos, se preocupe não, Janaína, não é que eu seja pessimista - acho que é só realismo mesmo. Mas ainda acredito que dê pra conseguir uma fatia de sonho.
;)
É essa capacidade que a mulher tem de ver o invisível e criar, em todos os sentidos do termo, que faz dela um ser especial. Parabéns pra nós, querida, e um beijo com carinho pra você.

aeronauta disse...

Mulher "vislumbra amores e muros muito antes de nascerem": adorei isso! Parabéns, Janaína!

graça sena disse...

Janaína,
lindo blog, belos textos. E tem Jacinta a quem tanto admiramos.
Agradeço pela visita e comentário no meu blog.
Vou linkar no Rainha Mórbida.
bj

Bipede Implume disse...

Lindo o poema de sua mãe e este texto de homenagem às mulheres.
Me fez sentir muito bem.
Beijinho.
Isabel

Chorik disse...

A mulher é a evolução do homem.

b disse...

Uma mulher chamada Janaína tinha que escrever sobre peitos, leite, bem materna.
Janaína é uma sereia jovem, um dos nomes de Yemanjá que é mãe por natureza.
Mas isso, vc já deve saber.
Importa é dizer que teu texto é de muita beleza.
Vou voltar, pode?

Ana Tapadas disse...

Obrigada amiga!
Fuga para a frente (ou refúgio) em dias de muito trabalho.
Beijinho