sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Diálogos (im)possíveis 6



[Ainda sobre lobisomens. Num livro on line que escrevi para crianças, intitulado Lobisominho, a cada quinze dias um capítulo ia ao ar. Ao final de cada capítulo, eram feitas perguntas às crianças, para conhecer suas impressões e estimular sugestões sobre o desenrolar da história. Essa experiência de contato direto com os leitores, aliás, foi sensacional. Aprendi muito com as crianças sobre construção de personagens, desenvolvimento de enredos, sobre o que gostam ou não de ler, etc. Aproveitei muitas das suas sugestões, oferecidas sempre com generosidade, entusiasmo e enorme imaginação, livre das limitações adultas.]

No final do primeiro capítulo, perguntei às crianças:
— Você acredita em lobisomem?
Resposta enviada por uma menina de oito anos:
— Eu acredito. Mas eles não existem.
(Ilustração de Fábio Moino para Lobisominho)

6 comentários:

valter ferraz disse...

Janaína,
aqui em casa ontem nós lemos. O Erick adorou. Perguntei se teve medo. Êle: claro que não, vovô. Lobisomem não existe, né?
De minha parte não digo nem que sim e nem que não. Por via das dúvidas recomendei o link para uma amiga. Tenho certeza que ela vai gostar.
Beijo, menina

maria guimarães sampaio disse...

Eu acredito. Mas eles não existem
GE - NI - AL !!!!!

sidney wanderley disse...

A opinião dessa menina é de uma sabedoria espantosa. Ela disse exatamente o que você, eu e qualquer adulto de mente não embotada diríamos se perguntados
acerca dos simpáticos lobisomens
(a começar pelos da Viçosa).

Anônimo disse...

Questão de lógica. Se pensamos nos lobisomens, logo eles existem.Meu pai viu alguns. Certa feita, numa fazenda de usina de açúcar do governo federal, Santa Helena de Goiás (hoje cidade). Ele desceu do carro para abrir a porteira. Ao longe, viu dois olhos brilhantes, um corpanzil peludo. Pensou num urso. Lá não há urso. Num lobão em pé. Mas, quando ele viu o bicho fumar cachimbo, borrou-se e escafedeu-se.

Anônimo disse...

Arrf! Grrr! Huuum! Aun-aun-aun! Argfrr! Ruuum! L

Janaina Amado disse...

Feliz feliz, Valter, do Eric ter gostado de "Lobisominho". Foi escrito pra meninos como ele.
E é isso, amigos: porque aceditamos em lobisomens, eles existem. Teve até um que passou por aqui ontem, não ouviram os urros?