domingo, 18 de abril de 2010

Pra começar bem o dia (12)


Coisa Amar

Contar-te longamente as perigosas
coisas do mar. Contar-te o amor ardente
e as ilhas que só há no verbo amar.
Contar-te longamente longamente.


Amor ardente. Amor ardente. E mar.
Contar-te longamente as misteriosas
maravilhas do verbo navegar.
E mar. Amar: as coisas perigosas.

Contar-te longamente que já foi
num tempo doce coisa amar. E mar.
Contar-te longamente como doi

desembarcar nas ilhas misteriosas.
Contar-te o mar ardente e o verbo amar.
E longamente as coisas perigosas.

Manuel Alegre

[Leia trecho de entrevista do grande escritor português Manuel Alegre aqui.]
*Imagem: Brigitte Bouron, Barque sur la Mer

9 comentários:

Edu O. disse...

essa foi para nos deixar além! maravilha!

Gerana Damulakis disse...

Maravilha! Em Portugal a poesia está no ar, daí os poetas formidáveis.

aeronauta disse...

Estou terminando bem o dia ao ler esse melódico e lindo poema. Bjos.

giramundo disse...

As coisas PERIGOSAS: AMAR !
Ele sabe como nos incitar, nos provocar lindamente.
Muito boa a tua escolha pra "esse começar, que está sempre re-começando"...! Obrigada

Bjs

Cristiano Contreiras disse...

belissimo contexto e conceito do seu blog!

Chorik disse...

Belíssimo. Longamente belíssimo.

I.Moniz Pacheco disse...

Que poema belíssimo, Janaína, adorei. Que modo lindo de escrever.
Estou emocionada. Vou reler sempre.
Obrigada por mais essa.

Lisarda disse...

Hermoso, para guardar en la memoria.

Ana Tapadas disse...

Obrigada!
Alegre é um grande poeta. Quando o ouvia em onda curta, a partir de Argel, a voz dele, imponente, enchia o meu coração de alentejanita de 15 anos.
Beijinho