segunda-feira, 22 de março de 2010

Não confio mais no sedex



Há dias tento escrever este texto, mas não consigo. Não sei se devido à minha frustração com o assunto, ao fato de eu chorar toda a vez em que penso nele, à minha profunda sensação de impotência... Vou tentar vencer ...
(O texto continua aqui)

3 comentários:

Ana Tapadas disse...

Outro beijinho.

João de Sousa Teixeira disse...

É um mundo cão, mas não desanime.
a propósito de cão, qualquer dia publico este:

COMO CÃO

Como te invejo amigo cão,
o teu sol e mesmo o teu osso;
não a coleira do pescoço;
a condição.

Como te invejo o faro, irmão!
Cheirar até o bafo de deus,
seres tu por mim alguém e eu
o cão.

Como te invejo, meu ciúme é vasto:
o amor que fazes à minha frente,
uivar, ganir como um demente
e casto.

Como te invejo e te gabo,
Como os que, não sendo cão,
pedem guloseimas e dão
ao rabo.

Como te invejo o dobrar do sono,
ladrar a quem me apetecer
e, se for preciso, morder
o dono.

Beijinho
João

Bipede Implume disse...

Querida Janaína
Compreendo sua tristeza, só posso lhe enviar um abraço muito solidário.
Beijinho de muita amizade.
Isabel